Home

Destaques

  • Prêmio SBM: lançada a chamada para a edição de 2023

    Premiação é realizada a cada dois anos junto ao Colóquio Brasileiro de Matemática A Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) informa o lançamento da chamada para o Prêmio SBM 2023. Concedido a cada dois anos por ocasião do Colóquio Brasileiro de Matemática, o Prêmio tem como objetivo distinguir o melhor artigo original de pesquisa em Matemática publicado recentemente por um jovem pesquisador residente no Brasil. O julgamento é baseado nos critérios de originalidade, relevância, profundidade e potencial de impacto no desenvolvimento da respectiva área. A premiação é concedida desde 2013 e, de lá para cá, já premiou cinco artigos. Nesta edição, o vencedor será agraciado com um diploma, remuneração de R$20.000,00 e um convite para apresentar uma palestra plenária durante o próximo Colóquio. O Prêmio é o mais prestigioso para a pesquisa matemática concedido no Brasil, considerado pela SBM sua principal iniciativa dentro da comunidade científica em prol da pesquisa de alto nível. Poderão ser indicados artigos publicados nos anos entre 2020 e 2023 por pesquisadores ou docentes que tenham obtido o seu doutorado a partir de 2008 e que possuam vínculo empregatício permanente em instituições brasileiras com início até 2020. “A motivação para a existência do prêmio baseia-se nos seguintes objetivos: apontar importantes desenvolvimentos contemporâneos em todas as áreas da Matemática, incentivar pesquisas nesta disciplina dentro das nossas instituições acadêmicas, apoiar jovens matemáticos para alcançar reconhecimento científico e estimular a atenção da comunidade científica e dos órgãos financiadores para descobrir e apoiar nossos talentos”, explica o Presidente da SBM, Paolo Piccione (USP). O Prêmio SBM de 2023 é destinado a, no máximo, um artigo de pesquisa. A Comissão Julgadora poderá, a seu critério, concedê-lo a um ou mais dos autores deste artigo. A Comissão, inclusive, já foi definida e será formada pelos professores Alícia Dickenstein (Universidad de Buenos Aires, Argentina), Hugo Duminil-Copin (IHES, França), Maria J. Esteban (Université Paris-Dauphine, França), Nalini Joshi (University of Sydney, Austrália) e pelo Presidente da SBM, que também será o responsável por comandá-la. “O júri do Prêmio SBM é escolhido pela Diretoria da SBM e é normalmente chefiado pelo Presidente da SBM. O júri também consiste de quatro matemáticos de grande reconhecimento e destaque internacional, inclusive medalhistas Fields. Normalmente, se pede que cada membro permaneça no júri por duas edições consecutivas, de forma que em cada edição são escolhidos apenas 2 novos membros”, explica Paolo. As indicações poderão ser feitas por qualquer pesquisador ou docente de instituição nacional ou internacional de ensino e pesquisa. Elas deverão ser enviadas por e-mail, através do endereço premioSBM@sbm.org.br, até o dia 28 de fevereiro de 2023. O artigo vencedor será divulgado na cerimônia de premiação, a ser realizada no Colóquio Brasileiro de Matemática 2023. Para conferir todos os detalhes do Prêmio, basta acessar o regulamento . Ele está disponível nas versões português e inglês.

  • SBM recebe propostas para a realização da Bienal 2024

    Instituições interessadas em sediar a 11ª edição do evento já podem se candidatar A Bienal de Matemática, evento realizado pela Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) desde 2002 em cada ano par, está com o prazo de submissão de propostas aberto para as instituições de ensino que desejarem sediar a edição de 2024. Neste ano, o evento chegou a sua 10ª edição e foi realizado em Belém, no Pará. A iniciativa tem como objetivos despertar o interesse de estudantes para a pesquisa e o ensino da Matemática, disseminar o conhecimento matemático em todo o país, propiciando a estudantes e professores uma visão ampla da Matemática e suas aplicações, gerar textos de qualidade, que estimulem a leitura e o estudo da Matemática, promover a interação da Matemática com outras áreas do conhecimento, abordando aplicações e questões interdisciplinares, estimular a formação de recursos humanos em Matemática, incluindo professores do ensino médio e superior,  divulgar laboratórios de ensino e de novas tecnologias no Ensino da Matemática, fomentar a interação entre as diversas componentes da comunidade matemática brasileira e firmar o papel da SBM como referência junto a estudantes, professores e coordenadores de cursos de Matemática, bem como profissionais de áreas afins. O público-alvo é bastante amplo, incluindo estudantes – em todos os níveis -, professores e pesquisadores de Matemática e de áreas afins em todo o território nacional. As instituições que desejem sediar a Bienal devem encaminhar suas propostas à Diretoria da SBM para a realização do evento. É necessário que a proposta contemple detalhes sobre a infraestrutura física, alojamento e acesso e também sobre apoio institucional. A organização do evento estará a cargo da Comissão Científica e da Comissão Organizadora Local, com a decisão sobre as candidaturas ficando a cargo do Conselho Diretor da SBM. O prazo final para submissão de propostas é o dia 13 de dezembro deste ano. As instituições interessadas devem fazer o envio para o e-mail diretoria@sbm.org.br. Todos os detalhes sobre os critérios para a candidatura estão disponíveis no Regimento da Bienal.

  • Faça a diferença para a SBM e para a comunidade matemática no Brasil e no exterior

    Qualquer pessoa pode doar e ajudar a financiar ações que visam o fortalecimento da SBM e da comunidade matemática no Brasil e no exterior A Sociedade Brasileira de Matemática agora conta com um mecanismo para os apoiadores ajudarem nas atividades e na sobrevivência da organização. Você pode doar qualquer valor através do site https://sbm.org.br/doacoes/ e dar suporte à SBM em seus diversos projetos. Fundada em 1969, a SBM é uma associação civil, de direito privado e sem fins lucrativos que tem como principais objetivos congregar os matemáticos e professores do Brasil, estimular e divulgar pesquisas de alto nível e contribuir para a melhoria do ensino matemático em todos os níveis. Doando, o público contribui para manter o Brasil no grupo 5 da União Matemática Internacional (IMU), instituição que organiza o maior congresso de matemática do mundo (ICM), realiza atividades globais no Dia Internacional da Matemática e é responsável pela medalha Fields, considerada o Prêmio Nobel da área da matemática. Estar no grupo 5 do IMU significa ter mais votos na Assembléia Geral da entidade, garante voz nas decisões mundiais em relação à área da matemática e confere maior reconhecimento e prestígio aos nossos pesquisadores na comunidade científica internacional. Além disso, o Brasil é agraciado com mais bolsas no ICM. Para o evento de 2022, o país foi contemplado com mais de 100 bolsas, dentre as 1000 disponíveis para o mundo inteiro. Fortalecer a SBM também é permitir que ela promova mais ações eficientes em nível nacional para melhorar a formação em matemática no ensino básico. Essa é uma das principais missões da entidade. O financiamento também fomenta a Sociedade a participar como membro constituinte da União Matemática da América Latina e Caribe (UMALCA) e continuar apoiando o Torneio Meninas na Matemática, uma competição dirigida às alunas do Ensino Fundamental e Médio das escolas públicas e privadas de todo o Brasil. Conheça e acompanhe as ações da SBM através do portal: https://sbm.org.br e do Instagram: @sbmatematica. Faça sua doação e fortaleça a comunidade matemática no Brasil e no mundo! Clique aqui para realizar sua doação!

Notícias

  • Pós-graduação em Matemática na pandemia: os efeitos sofridos pelos pesquisadores

    Survey elaborado pela SBM busca averiguar os impactos da pandemia A Sociedade Brasileira de Matemática formou um grupo de trabalho para estudar os efeitos da pandemia nos programas de pós-graduação em Matemática no país. O objetivo é obter dados que possam ser analisados para propor políticas públicas e científicas para melhorar o cenário e amenizar as consequências da pandemia na formação dos estudantes. O grupo, que contempla membros de várias áreas, incluindo a participação de um psicólogo, trabalhou intensamente por vários meses e preparou um survey para ser distribuído entre os programas de pós-graduação de Matemática do Brasil. A preparação do survey seguiu regras e protocolos profissionais e ele foi aprovado pelo Comitê de Ética do Instituto de Ciências Humanas e Sociais da Universidade de Brasília (UnB). Durante a 74ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), a SBM foi responsável por realizar uma mesa-redonda que debateu “Os impactos da pandemia na saúde mental nos programas de pós-graduação”. O encontro foi moderado pelo Presidente da Sociedade, Paolo Piccione (USP), e contou com a participação da Vice-Presidente, Jaqueline Godoy Mesquita (UnB), do acadêmico Carlos Alexandre Netto (UFRGS) e dos pesquisadores Alessandro de Oliveira Gouveia Freire (IDP), Miriam da Silva Pereira (UFPB) e Walcy Santos (UFRJ).   Na ocasião, foi concluído que o período da pós-graduação é naturalmente difícil para os alunos. É uma jornada extremamente desafiadora, que marca uma transição pessoal do estudante para se tornar um profissional. Além disso, é um momento de muitas incertezas quanto ao fazer científico – e conviver com a incerteza não é nada fácil. Durante a pandemia, com o distanciamento social e com muitos pesquisadores afastados de seus laboratórios, o sentimento de solidão acabou tornando-se universal, o que fez com que os índices de evasão no curso fossem altos. A falta de contato com os colegas em sala de aula, algo que fazia a diferença na hora de solucionar problemas, foi um agravante.   Foi salientada a importância de que as ações não sejam limitadas a um grupo de pesquisa. É necessária a promoção de ações locais, adequadas às demandas de cada grupo, assim como a integração com outras universidades e programas de pós-graduação. A mobilização se dá pela importância de que os alunos de pós-graduação saibam que não estão sozinhos.  A coleta de dados é realizada de forma completamente anônima e possui importância fundamental para obter uma análise robusta e precisa da situação, que permitirá a implementação de ações efetivas para a melhoria do cenário. O survey pode ser acessado através do formulário.

  • SBM oferecerá treinamento para mulheres em parceria com a British Council

    Ao todo, serão ofertadas 70 vagas para o curso, que tem como foco as lideranças femininas A Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) foi selecionada no edital da British Council, instituição pública do Reino Unido cuja missão é difundir o conhecimento da língua inglesa e sua cultura mediante a formação e outras atividades educativas, e conquistou 70 vagas para o Treinamento Mulheres em Tech – Lideranças Inclusivas. O programa é focado para aquelas que desejam desenvolver suas habilidades de liderança e avançar em suas carreiras, tendo como público-alvo pesquisadoras e/ou profissionais da área das Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática (STEM). As atividades terão início no dia 12 de dezembro e seguem até o mês de fevereiro. Durante esse tempo, as alunas selecionadas irão estudar 12 módulos de forma totalmente virtual e receberão um certificado exclusivo da British Council ao final do curso. O treinamento seguirá uma série de métodos que foram desenvolvidos em 2019 e 2020 como parte do Programa Mulheres na Ciência e em parceria com o Programa DICE (Desenvolvendo Economias Inclusivas e Criativas, na sigla em inglês). Para participar, é necessário preencher o formulário de inscrição fornecido pela SBM até o próximo domingo, dia 4 de dezembro. A proposta é liderada pela Vice-Presidente da SBM, Jaqueline Mesquita, e pela Diretora da Sociedade, Walcy Santos. “É muito importante que a Sociedade Brasileira de Matemática tenha sido selecionada e possa oferecer esse treinamento às mulheres. A área de matemática ainda é muito sub-representada, sendo majoritariamente representada por homens. Portanto, um treinamento como esse pode ser muito importante para que consigamos mudar este cenário, construindo importantes lideranças femininas na área de matemática, que se tornem role models para outras mulheres se inspirarem e verem que a matemática também é o lugar delas”, comemorou Jaqueline.

  • Matemática brasileira é eleita membra titular da Academia Mundial de Ciências

    Helena Lopes foi a única brasileira da área de matemática a ser escolhida como membro em 2023 A Academia Mundial de Ciências (TWAS, na sigla em inglês), durante sua Assembleia Geral nesta segunda-feira (21), elegeu 50 novos membros. A professora brasileira Helena Judith Nussenzveig Lopes, do Instituto de Matemática da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), está entre as 20 mulheres e os oito brasileiros eleitos, sendo a única brasileira da área de matemática a ser condecorada com a vaga para o ano de 2023. “É uma honra fazer parte desse grupo e é muito gratificante ter o trabalho reconhecido. Embora não tenha claro que mereça esta distinção, pretendo me empenhar para fazer jus a ela, tanto através da minha pesquisa quanto da promoção da atividade científica nos países em desenvolvimento. A TWAS está admitindo 50 novos membros em 2023, dos quais 40% são mulheres, algo que confere um grande destaque à atividade científica feminina. Trata-se de um acontecimento oportuno e que representa um real avanço no famoso problema do ‘Gender Gap in STEM’. Entre outras consequências, fornece mais ‘role models’, incentivando jovens mulheres a seguir carreira em Ciência”, afirmou Helena. Doutora em matemática pela Universidade da Califórnia, Berkeley, Helena realizou estágios de docência e pesquisa nas Universidades de Kentucky, Indiana, Penn State e na Universidade da Califórnia, Riverside. Foi professora visitante distinguida na Universidade de Brown, todas nos Estados Unidos. Também foi docente da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) de 1992 a 2012 e é professora titular do Departamento de Matemática da UFRJ desde 2012. Helena sempre esteve na vanguarda de pesquisa na Análise Matemática, e mais especificamente na teoria de modelos para o fluxo de fluidos incompressíveis em ou perto de regimes turbulentos. Ela é membra da Academia Brasileira de Ciências (ABC), da American Mathematical Society (AMS) e da Society for Industrial and Applied Mathematics (SIAM). Helena foi admitida na Ordem Nacional do Mérito Científico, na classe Comendador, e palestrante convidada no Congresso Internacional de Matemáticos de 2018. Também recebeu o Prêmio TWAS em Matemática por sua contribuição para a análise matemática rigorosa de modelos de fluxo de fluido incompressível em ou próximo a regimes turbulentos. Segundo ela, o Brasil está muito bem representado na TWAS. “Em particular, dos 50 novos membros, cabe notar que 8 são brasileiros, consistindo no segundo maior grupo por nacionalidade, suplantado apenas pelos 9 chineses eleitos. Isto evidencia a resiliência da atividade científica no Brasil. Vale notar que o governo chinês investe de modo substancial e promove entusiasticamente a ciência na China, mas, nos anos recentes, não se pode dizer o mesmo em relação ao Brasil. Espero que o resultado expressivo alcançado nesta eleição para a TWAS sirva de incentivo para fortalecer o investimento em Ciência no Brasil e para encorajar jovens talentos a dirigir-se à atividade científica”, finalizou a pesquisadora. A Sociedade Brasileira de Matemática congratula a Profa. Helena Lopes por mais essa conquista.

  • Revista Professor de Matemática completa 40 anos

    Veículo surgiu como forma de conectar educadores da área

  • Oportunidade e diversidade: confira como foi o VI Workshop Temático TYAN

    Evento contou com personalidades da matemática e foi realizado na USP em formato híbrido.

  • Nota de pesar – Moysés Nussenzveig

    A Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) lamenta o falecimento do físico, pesquisador e professor universitário brasileiro Herch Moysés Nussenzveig. Professor emérito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Moysés era membro da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e tinha 89 anos. 

Últimas Publicações

Eventos

Associados Institucionais Diamante

Concursos