Autores: Marcos Roberto Berredo da Silva, Miguel Chaquiam

Resumo:
O cálculo mental é uma forma de potencializar a aprendizagem de conteúdos matemáticos. No entanto, apesar dos benefícios deste tipo de cálculo, acreditamos que ele é pouco explorado em práticas didáticas no cotidiano escolar. Quando o professor explora o cálculo mental, está possibilitando a flexibilização, o pensamento criativo e independente, o senso de número e a estimativa, habilidades que podem ser aplicados tanto na resolução de problemas, como para qualquer outra situação cotidiana. Mas, para trabalhar com o cálculo mental em sala de aula é preciso entender que ele se estrutura em estratégias e que são necessários determinados conhecimentos para utilizar estas estratégias. Nesta proposta, analisamos as estratégias de cálculo mental para adições descritas por autores de destaque. À luz destas estratégias, elencamos os conhecimentos necessários a cada uma delas. Agrupamos estes conhecimentos em quatro categorias: fatos básicos, memória dos dobros, decomposição, rede de relações numéricas do 10. Na sequência, apresentamos sugestões de atividades que podem ser aplicadas em sala de aula, a fim de auxiliar professores a construírem com seus alunos os conhecimentos identificados como imprescindíveis ao cálculo mental e, assim possibilitando a construção de estratégias. Com os conhecimentos e com a construção das primeiras estratégias, o processo inicia e se retroalimenta, ou seja, quanto mais um aluno utiliza estratégias, mais conhecimentos são construídos e memorizados, com mais conhecimento, mais estratégias, e assim por diante. Com isso, o cálculo mental se constrói e, com ele, uma melhor relação com a Matemática.